“O namorado do papai ronca” – Resenha de Rafael Revadam

20130627 - Lan+ºamento do Livro - O namorado do meu pai ronca (46) 

Namorado do Papai Ronca: Dando simplicidade ao que é simples

Este livro surgiu para mim através de uma indicação. Confesso que não conheço nenhum livro infanto-juvenil que aborde a homossexualidade e ao me ver diante deste título chamativo, não pensei duas vezes e comprei o livro.

O Namorado do Papai Ronca já desperta curiosidade pelo assunto que vai tratar. Considerando que vivemos numa época em que a luta de aceitação à homossexualidade está em alta, o livro pega um assunto com viés polêmico e o retrata da forma mais verídica que possui, com a simplicidade que o tema merece.

Na obra conhecemos Dante, um menino de 12 anos que, por causa de uma viagem de estudos da mãe, tem que morar seis meses com o pai na cidade de Procópio, interior de São Paulo. Como se não bastasse entrar na escola no meio do ano letivo e aguentar a rejeição dos demais alunos, Dante vê que a orientação sexual paterna começa a impactar em sua vida. Num lugar onde tudo é novo, o fato de seu pai namorar um homem faz com que o menino seja cada vez mais excluído na sociedade em que vive.

“- Você é gay, pai?

– Como?

– Quero saber se você é gay

– O que é ser gay, filho?

– Pai! Estou perguntando e não quero responder!

– Filho, sou um homem que adora o filho que tem e que ama outro homem.

– Mas então, é gay!

– Não sei. Sou alguém que gosta do que é.

– Não é gay?

– Filho!

– É, ou não é?

– Sem entender o que você quer dizer não sei responder.

– Então tá: gay é aquele que anda rebolando, fala fino e faz coisas como se fosse uma mulher.

– Então eu não sou.

– E que também transa com homem.

– Então eu sou”.

O grande destaque do livro é a retratação de preconceitos. Sem utilizar mensagens autoajuda ou classificar tais ações com o famoso termo bullying, a obra mostra que a discriminação é algo que está presente em nossas vidas. Julgamos os mais feios, os mais gordos, os mais magros, os diferentes – e não percebemos.

A linguagem da obra também é um aspecto positivo a se destacar. Criado na forma de uma agenda, o livro vai descrevendo as ações de Dante no passar dos dias, mostrando como o personagem lida com as mudanças hormonais, com a vontade de ficar com alguém e como tenta mostrar à sociedade que o fato de seu pai ter um namorado não interfere em nada na pessoa que ele é.

Ainda na linguagem, outro destaque é a presença da internet na trama. Muitos dos relacionamentos de Dante são realizados através das redes sociais e os personagens principais são apresentados como se fossem perfis do Facebook.

“Somos diferentes com direitos iguais”

Plínio Camillo  merece parabéns. Em sua obra, o autor consegue retratar a simplicidade das diferenças, mostrando o quão diversa é a nossa sociedade e como devemos aprender a viver em coletivo. Ao usar a visão de uma criança para retratar a opinião sobre a homossexualidade, o autor tira todo o caráter polêmico do tema, criando uma situação real e inserindo um questionamento na cabeça de seus leitores. Será que as coisas não são mais simples do que aparentam ser?

Site: http://www.skoob.com.br/livro/resenhas/247197

http://criticoteca.wordpress.com/2012/11/20/o-namorado-do-papai-ronca-dando-simplicidade-ao-que-e-simples/

Anúncios

Por gentileza: escreva o seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s